domingo, 20 de dezembro de 2009

Late Of The Pier

Com a introdução "Hot Tent Blues" na medida, e já seguindo a segunda música "Broken", o disco Fantasy Black Channel de 2008 da banda Late Of The Pier, entra em uma sincronia incrivel, do início ao fim. Eles que foram lançados pela internet (como uma boa quantia das atuais bandas), e têm como maior referência e influência a banda Klaxons. Os ainda garotos do Late Of The Pier: Ross Dawson (bateria), Sam Potter (samplers), Andrew Faley (baixo e teclas), Sam Eastgate (teclas e voz), fazem um som nem indie e nem electro. Nem dance-punk, nem indie pop. Mas misturam tudo, e acabam tendo como resultado o electroclash.
Conheci a banda pelo canal do multishow, em um dia qualquer que estava trocando de canais. Gostei e fui catar... Acabei achando o album e gostando bastante, com uma mescla de músicas instrumentais e outras com vocais 'divertidos', acabou conquistando meus ouvidos. Do album Fantasy Black Channel, destaco as faixas: "Broken", "White Snake" e "Focker".


Late Of The Pier - Fantasy Black Channel [2008]


01.Hot Tent Blues
02.Broken
03.Space and the Woods
04.The Bears Are Coming
05.Random Firl
06.Heartbeat
07.White Snake
08.VW
09.Focker
10.The Enemy Are the Future
11.Mad Dogs and Englishmen
12.Bathroom Gurgle

Download AQUI!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Divas of Jazz

Well, cá estou aqui. Finalmente estou de férias e posso postar aqui novamente.
Não vou me demorar muito, até mesmo porque a coletânea em questão não requer muita explicação.
Não sei em que ano que foi lançado Divas of Jazz, mas eu me apaixonei logo quando eu encontrei.
Reúne as melhores "divas" do jazz em 38 músicas, sendo estas dividas em dois CDs.
Peggy Lee, Billie Holiday, Natalie Cole, Sarah Vaughan, Nina Simone estão entre os grandes nomes presentes na coletânea. O CD traz sucessos como "Cry Me a River" (Dinah Washington), "My Baby Just Cares For Me" (Natalie Cole), "Manhattan" (Ella Fitzgerald), entre outros.






CD 1

1. Mad About The Boy - Dinah Washington
2. Stormy Weather - Billie Holiday
3. Manhattan - Ella Fitzgerald
4. Black Coffee - Peggy Lee
5. Wade In The Water - Eva Cassidy
6. Son Of A Preacher Man - Dusty Springfield
7. (Take A Little) Piece Of My Heart - Erma Franklin
8. That Ole Devil Called Love - Alison Moyet
9. Love And Affection - Joan Armatrading
10. All That Jazz - Ute Lemper
11. Makin' Whoopee - Shirley Bassey
12. Let's Slip Away - Cleo Laine
13. Smooth Operator - Dorothy Dandridge
14. I Put A Spell On You - Nina Simone
15. My Ship - Sarah Vaughan
16. Angel - Cassandra Wilson
17. The Very Thought Of You - Shirley Horn
18. Dream Of Life - Carmen McCrae
19. Baby Ain't I Good To You - Helen Merrill

CD 2

1. Feeling Good - Nina Simone
2. I Just Want To Make Love To You - Etta James
3. My Baby Just Cares For Me - Natalie Cole
4. The Girl From Ipanema - Astrud Gilberto
5. Theme From Mahogany (Do You Know Where You Are Going To?) - Diana Ross
6. Cry Me A River - Dinah Washington
7. Misty - Sarah Vaughan
8. Walk On By - Dionne Warwick
9. I'm Every Woman - Chaka Khan
10. A Rose Is Still A Rose - Aretha Franklin
11. Salt - Lizz Wright
12. Angel Of The Morning - P P Arnold
13. Some Of Your Lovin' - Dusty Springfield
14. Bewitched - Laura Fygi
15. Smoke Gets In Your Eyes - Nana Mouskouri
16. Comes Love - Stacey Kent
17. Be Still My Heart - Silje Nergaard
18. Peel Me A Grape - Anita O'Day
19. September Song - Dee Dee Bridgewater

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Dance of Days - A Valsa de Águas Vivas

Pra quem escuta a palavra emocore e relaciona a bizarrices como nxzero, fresno, e porque não dizer, a coisa mais esdrúxula do mundo da musica, cine, é chegado o momento de ver que não só de programas do faustão franjas com chapinha e refrões grudentos vive o chamado emocore. Na verdade, se for buscar na raiz do emocore, a idéia era bem distante disso, mas como tudo que o mainstream mete a mão, conseguiram cagar a porra toda.
Depois do pequeno momento de revolta, vamos ao que interessa, no caso o post, o disco é A Valsa de Águas Vivas, do Dance of Days, banda formada no fim da década de 90 que de lá pra cá já mudou muito, mas mantém as características que fizeram dela uma referencia na cena emocore brasileira, diferente das conhecidas bandas "emo" que se ouve por aí, o DoD tem um som mais visceral, instrumental simples, vocal as vezes meio desafinado, gritado. Essa fórmula que não tem nada de mágica, somada a letras que até falam de amor, mas que abordam também outros temas, e o principal fazem isso de uma forma mais "profunda", não aquela coisa melosa que parece musica sertaneja.
Sobre o álbum, ao meu ver, é o melhor da banda, mas claro que isso é opínião pessoal, A Valsa de Águas Vivas foi lançado em 2004, e conta com participações de nomes conhecidos como Fernanda Takai, na música "adeus Sofia" e Badauí do CPM22, na música "vai ver é assim mesmo" além do menos famoso mas não menos importante Henrike do Blind Pigs, na música "cem mil bolas de neve.

Mais informações sobre o emocore como deveria ser, entrem no site youdontknowemo.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Confronto




Banda de Metalcore Straight Edge, que me foi descoberta através de uma entrevista com o Rodrigo do Dead Fish, que estava com uma camiseta da banda... aí pensei: po, se o vocal da minha banda favorita curte, talvez eu curta tb! Dito e feito, não parei mais de escutá-la. Aliás, dois cd's que não saem mais do meu MP3 são Contra Todos e Sanctuarium, que é o que vos apresento hoje!

Banda carioca de renome no exterior, se não me engano já fez 3 turnês européias. Tem letras políticas de protesto curto e grosso, sem rodeios!

Recomendo as músicas "Sem Perdão" e o single "Santuário das Almas"
Tá esperando o que? GOGOGO!


Confronto - Sanctuarium

Download(Mediafire)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

The Real McKenzies - Off The Leash


Olá de novo meus queridos. Upei esse álbum faz dias e dias, por preguiça ou por falta de tempo não tinha postado aqui ainda. Eu ia upar uma outra banda de Ska, mas como tá uma baita wave de bandas de ska nesse blog, optei pelo bom Celtic Punk, o qual só eu posto aqui, apesar que ainda espero o Vedana postar algo também.
Vos trago dessa vez The Real McKenzies, banda canadense que mistura gloriosamente música tradicional escocesa com aquele Punk gostoso.
Quem gosta do estilo provavelmente já conheça a banda, então aconselho à quem não gosta, as músicas recheadas de gaita de fole parecem repetitivas a princípio, mas após algumas viradas do LP o gosto pelas músicas agitadas com o estilo escocês é inevitável. Enfim, uma das melhores bandas do estilo que já tive o prazer de conhecer!

Deixo aqui o último álbum lançado:

Off The Leash (2008)

1. Chip
2. The Lads Who Fought & Won
3. The Ballad Of Greyfriars
4. Kings Of Fife
5. Old Becomes New
6. White Knuckle Ride
7. The Maple Trees Remember
8. Anyone Else
9. My Mangy Hound
10. Too Many Fingers
11. Drink Some More
12. Guy On Stage
13. Culling The Herd


Download via (4Shared)

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Móveis Coloniais de Acaju



O nome é estranho. Fora escolhido por ser sonoro e permitir uma homenagem às obscura "Revolta do Acaju", episódio pouco conhecido da história do Brasil, no século XVIII, onde índios e portugueses se uniram para tomar de volta a Ilha do Bananal, da coroa britânica. Foram destruídos móveis e cachimbos feitos de madeira "acajus mognole", dando o nome à Revolta do Acaju.
Mas, vamos falar de música. É muito complicado explicar a sonoridade do Móveis. A mistura de Ska, MPB, Rock e ritmos do leste europeu se transformam em uma "feijoada búrgara" (termo utilizado pela banda para descrever o som. Além de melodias extremamente competentes, as letras também chamam atenção, por serem pensantes e inteligentes. A energia ao vivo do grupo também impressiona, fazendo um grande "carnaval" em seus shows e festivais, que os próprios organizam. Tudo isso, somado a grande quantidade de instrumentos - gaita, trompete, escaleta, flauta, entre outros, além de guitarra, bateria e baixo, forma a excência do Móveis Coloniais de Acaju. Para fazer o download de "C_MPL_TE", clique na imagem.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Antimaniax

Caso curioso...
Como eu sempre gostei de fazer post em homenagens (como fiz o da sexta-feira 13), decidi colocar a data de hoje (26 de outubro) no wikipedia. O que achei de curioso? Bom, além da morte do humorista Tião Macalé (do famoso bordão "nojento") em 1993; e que é Dia da Cruz Vermelha (que nunca imaginei que tivesse um dia dedicado); também é Dia Nacional da Áustria. Posso ser o maior ignorante e tudo mais, mas nunca imaginei que existia um dia nacional de algum país. De que forma se dá a escolha do dia? Independência? Descobrimento? Tipo o dia Nacional do Brasil, em outros países seria 22 de Abril? Ou 7 de Setembro?

Sem mais blá blá blá... Decidi então postar algo da Áustria... Há uns 8 ou 9 meses atrás, andei procurando bandas da Europa, e encontrei bandas da Hungria, da Suécia, da Finlândia e uma da Áustria, chamada Antimaniax.
Nunca fui um grande fã de bandas de Ska ou derivados, pra falar a verdade as unicas poucas bandas que gosto de Ska são: The Skatalites (postado aqui pelo Vedana), Less Than Jake, Streetlight Manifesto e a Antimaniax (acho a banda Antimaniax muito mais Punk do que Ska, posso estar falando bobagem por não conhecer muito o gênero).
A Antimaniax se formou em 1998, e em 2000 lançaram sua demo "We're Tryin'". Sem gravadora a banda seguiu até 2001. Em 2002, assinaram com a gravadora Household Name Records e lançaram o album "As Long As People Think" (o único que escutei da banda e o qual irei disponibilizar neste post),. As coisas iam melhorando e em 2003 a banda saiu em tour com a banda americana Leftöver Crack, ja consagrada no cenário Ska punk. E ainda em 2003 a banda lançou o album "I'm Without Sleep... In This Desert of Concrete" o qual é o último que se tem notícias.
Bom, estou em pleno Dia Nacional da Áustria o album "As Long As People Think" de 2002, da banda Antimaniax, obviamente austriaca, acho este album bem, mas bem mais Punk que Ska, como já havia citado. Os vocais, hora rasgados, hora mais melódicos, sempre soam agressivos, acho que isso é o que mais gostei no album. Destaco as faixas "The Perfect Crime", "We Raise Ya" e "Operation Anthill".


01. Chill Con Tofu
02. The Peferct Crime
03. We Raise Ya
04. Good Terror
05. Who's War Is It?
06. Operation Anthill
07. Collapse
08. Suit Tie Ca$H
09. Entertainment Industries
10. Bad Ideas Behind Low Atttude

Download AQUI!

sábado, 24 de outubro de 2009

CAGE THE ELEPHANT


Certo dia eu tava circulando por uns sites de "top zilhões de músicas mais ouvidas no exterior" e o nome dessa banda me chamou atenção. Coloquei no youtube pra ver qual era dela e acabei gostando. Fui atrás do único álbum deles e vou compartilhar com vocês.
A banda começou em 2005 originalmente em Kentucky se chamando "Perfect Confusion" - que se forem ver os clipes e vídeos de show é exatamente isso que parece, uma confusão perfeita. O lançamento do álbum, homônimo, foi feito em 2008 e foi bem aceito pelos ouvintes.
Aqui tá o site deles que eu achei bem bonitinho, - e é um jeito de ter uma idéia de como eles são antes de baixar o arquivo.


sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Sybreed

Novo post e com os três albuns da banda...
Banda? Sybreed. Onde? Geneva, Suíça. Quando? 2003. O que tocam? Isso é dificil de responder, mas podemos dizer que é um Industrial Metal, meio Cyber metal, meio Groove Metal e também poderiamos citar Melodic (quanto ao album The Pulse Of Awakening).
Sybreed atualmente é uma das minhas bandas preferidas, quando não estou escutando Sybreed, estou escutando Sybreed (nesses ultimos meses). Logo quando escutei uma música, falei: "putz, tenho que baixar todos os albuns". Das bandas postadas até agora no blog acho que é a de mais peso, mas não é um peso bruto e sem muita melodia como algumas bandas por ai, é um peso que une sons eletronicos em guitarras e na bateria, e o vocal é "um pouco gritado e um pouco não".
Atualmente eles estão em tour com a banda In Flames, ja consagrada no cenário Death Metal, o que pode trazer ao Sybreed uma popularidade um pouco maior, já que conheço pouquissimas pessoas que conhecem a banda, e me surpreendo cada vez mais quando descubro alguém que ao menos conheça a banda.
Neste post como já havia comentado, vou disponibilizar os três albuns da banda, que são Slave Design de 2004, o Antares de 2007 e o recém lançado The Pulse Of Awakening, obviamente de 2009. Vou começar de forma crescente.


The Pulse Of Awakening - 2009

O bebê da banda... Bebê é um termo excelente, pois é o album mais calmo e melódico. O único com músicas realmente mais calmas (pra falar a verdade tem uma realmente calma "In The Cold Light", as outras são mais pseudo-calmas, haha).
Por as primeiras músicas que vazaram deste album (A .E.O.N. e Human Black Box) se esperava um album semelhante ao primeiro album da banda. Mas quando o album realmente saiu, o resultado foi: "Nossa, que diferente. Porra, mas ta muito bom igual!". Esse album não sai da minha atual playlist nunca, to escutando há alguns dias já. Diferente dos anteriores porém muito bom! As músicas que destaco são: "Nomenklatura", "Doomsday Party" e "Lucifer Effect".

01. Nomenklatura
02. A .E.O.N.
03. Doomsday Party
04. Human Black Box
05. KillJoy
06. I Am Ultraviolence
07. Electronegative
08. In The Cold Light
09. Lucifer Effect
10. Love Like Blood
11. Meridian A.D.
12. From Zero To Nothing

Download AQUI!

----------


Antares - 2007

As primeiras músicas que escutei do Sybreed são deste album, foi com este album que a paixão começou e foi crescendo cada vez mais... Esse album em minha opinião é mais eletronico, mais pro lado indurtrial que pro lado metal, mas claro nunca fugindo dos pedais duplos e do vocal gutural do vocalista Ben. Mesmo não parecendo com nenhuma outra banda de Industrial (seja Industrial, Industrial Metal, Rock, Death, Dark Industrial...) o Sybreed não deixa em momento nenhum de ser considerado Industrial, e um ótimo Industrial... Que é o caso desse album. Mesmo com berros e gritos, o album de 2007 veio mais ameno... Destaco as músicas: "Ego Bypass Generator", "Permafrost" e "Twelve Megatons Gravity".

01. Emma-O
02. Ego Bypass Generator
03. Revive My Wounds
04. Isolate
05. Dynamic
06. Neurodrive
07. Ex-Inferis
08. Permafrost
09. Orbital
10. Twelve Megatons Gravity
11. Ethernity

Download AQUI!

----------


Slave Design - 2004

Slave Design de 2004 é o primeiro CD da banda, traz músicas pegadas com sons eletronicos, o bom e nem tão velho industrial metal. Não foi o primeiro album que conheci, nem se quer a primeira música que escutei deles é deste album. Conheci primeiro duas músicas do Antares, vim a baixar o Antares e depois fui escutar as músicas do Slave Design. No inicio me assustei bastante, pois o album de 2004 é de peso bem maior que o seu sucessor. Mas logo me adaptei, e passei a escutar muito mais ao Slave Design que ao próprio Antares.
Tanto é que boa parte das minhas músicas preferidas do Sybreed são desse album... Destaco todo album, mas como é de costume vou destacar apenas três músicas... Então são elas: "Bioactive", "Decoy" e "Take The Red Pill".

01. Bioactive
02. ReEvolution
03. Decoy
04. Synthetic Breed
05. Next Day Will Never Come
06. Machine Gun Messiah
07. Take The Red Pill
08. Rusted
09. Static Currents
10. Critical Mass
11. Reevolution - (Syntax Airplay Edit)
12. Decoy - (Radio Slave Edit)

Download AQUI!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Lye By Mistake

Ola, gostaria de fazer uma breve apresentação de minhas intenções como colaborador;

Primeiro gostaria de retribuir as indicações que tive do blog, é difícil de achar coisas boas com esse bombardeio de coisas que a internet nos proporciona e também é difícil saber se tudo que nos mostram vale mesmo a pena perder tempo em conferir (no caso a internet lenta também conta) e também gostaria de publicar todas as coisas estranhas e boas( pelo menos acho) que eu escuto. Desde já agradeço a oportunidade e me desculpo pelas eventuais fanfarronices que virão. Aqui vai minha primeira “sei la o que”.

Banda nascida em ST. Louis, nos states, no meio da modinha metalcore que esta rolando no momento, essa não é mais uma qualquer, os caras são muito pirados no sentido de estilo musical, eles fazem um som na linha de Soul, Metal progressivo, Jazz,
Grindcore e umas paradas experimentais muito locas. Os cara são perfeccionista no que diz respeito a técnica instrumental e nisto os torna únicos. Ela e composta pelo básico guitarra, baixo, batera, e um maluco com sintetizadores, teclados, samplers, e berros muito loucos do nada.

A banda esta recém no segundo CD mais não deixa a desejar. Aqui vai o segundo que se chama “Fea Jur” lançado este ano.

Download (Via Mediafire)

domingo, 18 de outubro de 2009

Passado

1/2

Olá amigos do Faixa Desconhecida.
O post de hoje matará dois coelhos com uma caixa d'água só, vou seguir com a série dos álbuns que mais me deram trabalho conseguir e aproveitar para deixar um lançamento.
Escrever esse post me remete ao primeiro post desse blog no qual eu falava da grande banda que é o Built To Spill. Indo atrás de informações sobre o BTS acabei descobrindo que a banda que introduziu Doug Martshc a toda agitação e diversão dos palcos foi a Treepeople, banda em que ele não era o destaque, mas já mostrava que não havia vindo a brinquedo.
O Treepeople teve muito material gravado, mas grande parte caiu no esquecimento pelo numero pequeno de cópias, o que dificultou a digitalização e, por sua vez, disponibilização na internet desse material. Após eu ficar sabendo da banda iniciei a minha busca por algum disco deles e, depois de um bom tempo procurando, percebi que só há um álbum disponível pra download (se houver outro está MUITO bem escondido) e para que este álbum não caia no esquecimento, vou poupa-los do trabalho que eu tive e lança-lo no/a Faixa.

Just Kidding - 1992


01 - Anything Impossible
02 - Ballard Bitter
03 - Cartoon Brew
04 - Clouds Faces
05 - Fish Basket
06 - InC
07 - Neils Down
08 - Not Blink
09 - Outside In
10 - Today

E presente

2/2

Voltando da década passada, é impossível falar de BTS hoje sem mencionar o seu novo disco, recém saído do forno. There Is No Enemy foi lançado há duas semanas, dia 06/10e contou com a colaboração do antigo amigo do tempo do Treepeople, Scott Schmaljohn. O disco quebrou um jejum de 3 anos dos quais a banda dedicou 2 para sua gravação.
There Is No Enemy trouxe de volta os riffs que tanto agradam os fãs em letras extremamente inspiradas do grande Doug Martsch.
Sem mais delongas, aproveitem esse que é um dos grandes álbuns da cena alternativa de 2009.
Enjoy!

There Is No Enemy - 2009

01 - Aisle 13
02 - Hindsight
03 - Nowhere Lullabi
04 - Good Ol' Boredom
05 - Life's A Dream
06 - Oh Yeah
07 - Pat
08 - Done
09 - Planting Seeds
10 - Things Fall Apart
11 - Tomorrow

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Os mestres do SKA ``Skatalites´´

Olá pessoal eu sou o Gabriel... vim fazer minha primeira postagem no blog já mostrando os reis de Kingston, claro que falo do Skatalites, banda com mais de 40 anos de historia, onde grandes musicos como Bob Marley, Peter Tosh, Don D... já tocaram.
Esta coletânea reuni os maiores clássicos da banda em suas inumeras formações. A Trojan Records tem o prazer de apresentar THE SKATALITES!!!!!!!!
Download (Via Megaupload)

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Death From Above 1979

Eu voltei...
Bem a algum tempo venho apenas reupando meus antigos posts, pois penso da seguinte forma, no momento que alguem chega até nosso blog e encontra o link esperado fora do ar, ele sai e nem volta mais. Dai decidi reupar, pelo menos boa parte dos meus links.
Sem mais tralala, vamos ao post...

A "banda" que trago aqui para o blog é uma banda de apenas dois integrantes. O Death From Above 1979 tem como integrantes, Jesse F. Keeler (baixo e sintetizador), e Sebastien Grainger (bateria e vocal). Eles são do Canadá, mas espessificamente de Toronto. Quando conheci a banda, (conheci graças ao meu amigo Bruno, vulgo Balão) não acreditei que fossem só dois integrantes, e muito menos que um deles tocasse baixo e não guitarra. Ainda meio que sem acreditar muito, fui ver alguns videos (show) deles no youtube... Dai sim passei a acreditar e a achar muito foda!
O som é primitivo e ao mesmo tempo eletronico (sintetizador), o vocal desafinado com as batinas bem secas dão o toque mais primitivo talvez, se uninco ao baixo e ao sintetizador dando o ar mais contemporâneo.
Algumas curiosidades:
- o encarte desse album foi satirizado por a U.D.R. no ultimo album, entitulado (Bolinando Straños).
- a banda costumava dar declarações falsas na internet, falaram que haviam se conhecido em uma cela pois estavam presos, um vez disseram que haviam se conhecido em um bar gay, e também falaram que moravam em uma funerária.

Vamos logo ao album, "You're a Woman, I'm a Machine" foi lançado em 2004, depois desse album apenas um album de Remixes e B-sides foi lançado, e provavelmente nada mais será lançado, pois a acabou em agosto de 2006 com uma declaração de Keeler pelo site... Destaco as faixas: "Going Steady", "Go Home, Get Down" e "You're A Woman, I'm A Machine". VALE MUITO A PENA BAIXAR!


You're a Woman, I'm a Machine [2004]

01. Turn It Out
02. Romantic Rights
03. Going Steady
04. Go Home, Get Down
05. Blood On Our Hands
06. Black History Month
07. Little Girl
08. Cold War
09. You´re A Woman, I´m A Machine
10. Pull Out
11. Sexy Results

Download AQUI!
Opção 2: AQUI!

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Across the Universe - Trilha Sonora



Across the Universe é um filme que tenta contar uma história através das letras dos Beatles. As músicas são cantadas pelos próprios atores, caracterizando um musical com dança, pessoas felizes e saltitantes.
Como esse é um blog musical, cabe a mim fazer uma breve análise sobre a trilha sonora e não sobre o longa, então, vamos a ela. Eu gostei bastante da maioria das versões. Os atores não cantam nada, mas, em suma, ficaram legais, até porque né, músicas dos Beatles são rabalhosas pra ficarem ruins. Até eu tocando fica bom. Piadas a parte, reconheço que cantar The Beatles deve ter sido uma grande responsabilidade pra todos aqueles atores desconhecidos e acho que eles se saíram até bem, se formos ver por esse lado.
Como eu gostei bastante de praticamente todas, fica difícil recomendar algumas, mas acho que "While My Guitar Gently Weeps", "I've Just Seen a Face" e "All My Loving" se destacam.

Download (4shared)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Social Faker

Social Faker.

Formado em Setembro de 2009, Social Faker é um grupo que mistura HipHop/Crunk e Eletronica/Screamo. Com 3 integrantes no momento (Nego'O - Vocal/ berros, Guitarra e Samplers, Lucas - Vocal/berros e J4Freax - Samplers/programações. Apesar de recente, a Social Faker já tem trabalho disponível na internet pra download gratuito, seu primeiro single intitulado "Fuck Beats" e um E.P "Self Titled" inicialmente gravado e editado apenas por Nego'O. Com a formação atual, já existem projetos de um novo CD e gravação de videoclipe.

Então lhes disponibilizo o EP do grupo :D ENJOY!


Social Faker - Self Titled

Download(Mediafire)

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Lynyrd Skynyrd - God & Guns (2009)



Lynyrd Skynyrd, porra, primeira banda de Southern Rock que eu conheci, escutava os clássicos da banda, todos seus álbuns lançados até o acidente trágico, no qual morreu uma porrada de membros, inclusive o vocal Ronny Van Zant. Talvez a banda acabaria uns anos depois, mas porra, não tem fim pior que esse.
Na época em que comecei a ouvir, nos anos 90, eu nem sabia que a banda ainda existia, sob os cuidados do irmão do Ronnie Van Zant, Johnny.
Os irmãos Van Zant, como já postei aqui, são uns monstros da música, mesmo assim a "re-banda", não chega a ser o mesmo de antes, afinal são novos tempos, e com toda a miscigenação musical que temos por aí, influências são inevitáveis, até para o bom e velho Southern Rock.
Diferente ou não, Lynyrd Skynyrd vive, não o mesmo, mas em boas mãos, esse ano foi lançado um novo álbum, God & Guns, obviamente sempre tem uma penca de críticas, muitos dizendo do tal do apelo pop do álbum. Mas pra mim, o álbum tá ótimo, segue um pouco o velho estilo com um toque novo, eu particularmente não me importo com isso, inclusive gosto, não sou meu pai pra saudar o clássico sem aceitar o novo, e como eu disse, influências são inevitáveis.

Fica aí o lançamento, enjoy!

Lynyrd Skynyrd - God & Guns (2009)

1. Still Unbroken
2. Simple Life
3. Little Thing Called You
4. Southern Ways
5. Skynyrd Nation
6. Unwrite That Song
7. Floyd
8. That Ain't My America
9. Comin' Back For More
10. God & Guns
11. Storm
12. Gifted Hands


(Download Via 2Shared)

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Operation Ivy

Olá pessoal! Eu estava meio sumido por falta de tempo mesmo... mas agora estou de volta e continuando essa "vibe" ska que tomou conta dos últimos posts (o Nic com Sublime e o Aquarius com Streetlight Manifesto), eu vos trago uma banda que admiro muito e que é de extrema importância pro chamado "skacore", o Operation Ivy. Sobre a banda, eles nasceram em Albany, na Califórnia (só podia ser lá mesmo) em meados de 1987. Suas principais influências eram as bandas de punk rock mais clássicas (Ramones e The Clash) e as de ska roots (The Specials e Madness). Ah, ainda postarei The Specials aqui, mas em um futuro um pouco distante... Bom, assim sendo, dessa mistura do punk rock com o ska, surge um "novo ritmo", intitulado skacore. O Operation Ivy pode ser creditado como o precurssor do skacore, influenciando diversas bandas, que "bebiam" dessa fonte, tais como Rancid, The Suicide Machines e o próprio Streetlight Manifesto. Depois de apenas dois anos a banda se desfaz, os motivos, dizem as más línguas, foi o sucesso que banda estava alcançando, chegando a assinar um contrato com a EMI, fazendo com que dois dos integrantes da banda ficassem desgostosos, pois eles queriam apenas se divertir, tocar em barzinhos para poucas pessoas e ganhar somente o necessário para se manter. Bom, o paradeiro dos integrantes da banda é um tanto quanto interessante: um deles virou missionário e foi para Nicarágua, que na época enfrentava uma guerra civil violenta, um eu não tenho a mínima idéia e dois formaram, mais tarde, o Rancid! Sim, Tim Armstrong, vocalista e guitarrista do Rancid era guitarrista e backing vocal do Operation Ivy, mas com outro nome, lá ele era conhecido como Lint. Já Matt Freeman era conhecido como Matt Freeman mesmo. Bom, chega de papo furado e vamos ao que interessa. O disco que disponibilizo aqui é o Energy, de 1989, o único "álbum de verdade" lançado por eles, os outros trabalhos são EP's e compilações. Baixem que o disco é bom pra caralho! É só clicar na imagem abaixo e pronto.












segunda-feira, 14 de setembro de 2009

FORREST GUMP SOUNDTRACK


Tudo bem que eu tinha 2 anos quando o filme foi lançado e a maioria das músicas foram feitas quando eu nem tava no saco do meu pai (como diria o próprio). Mas achei esse álbum duplo nas coisas que me foram dadas como "pega antes que peguem" e me lembrei o quão boa é essa coletânea que reune alguns dos artistas mais renomeados da música gringa.

Tô disponibilizando as duas partes do álbum e indicando pra quem não viu o filme, os poucos que conseguiram escapar de uma(ou mais) tarde(s) vendo Globo ou zilhões de vezes na TNT, que veja mais um filhote de Hollywood estrelando Tom Hanks.

Disco Um
1 - Hound Dog - Elvis Presley
2 - Rebel Rouser - Duane Eddy
3 - (I Don't Know Why) But I Do - Clarence Frogman Henry
4 - Walk Right In - The Rooftop Singers
5 - Land of 1000 Dances - Wilson Pickett
6 - Blowin' in the Wind - Joan Baez
7 - Fortunate Son - Creedence Clearwater Revival
8 - I Can't Help Myself (Sugar Pie Honey Bunch) - The Four Tops
9 - Respect - Aretha Franklin
10 - Rainy Day Women #12 & 35 - Bob Dylan
11 - Sloop John B - Beach Boys
12 - California Dreamin' - The Mamas & the Papas
13 - For What It's Worth - Buffalo Springfield
14 - What the World Needs Now Is Love - Jackie DeShannon
15 - Break on Through (To the Other Side) - The Doors
16 - Mrs. Robinson - Simon & Garfunkel

Disco Dois
1 - Volunteers - Jefferson Airplane
2 - Let's Get Together - The Youngbloods
3 - San Francisco (Be Sure to Wear Flowers in Your Hair) - Scott McKenzie
4 - Turn! Turn! Turn! - The Byrds
5 - Aquarius / Let the Sunshine In - Fifth Dimension
6 - Everybody's Talkin' - Harry Nilsson
7 - Joy to the World - Three Dog Night
8 - Stoned Love - The Supremes
9 - Raindrops Keep Fallin' on My Head - B.J. Thomas
10 - Mr. President - Randy Newman
11 - Sweet Home Alabama - Lynyrd Skynyrd
12 - It Keeps You Runnin' - The Doobie Brothers
13 - I've Got to Use My Imagination - Gladys Knight & the Pips
14 - On the Road Again - Willie Nelson
15 - Against the Wind - Bob Seger & the Silver Bullet Band
16 - Forrest Gump Suite - Alan Silvestri

domingo, 13 de setembro de 2009

O Sargento Pimenta conheceu o meu pai!

Muito bem amigos, não tão cedo como pensei, mas voltei e voltei para compartilhar com vocês outro daqueles álbuns quais eu disse que deram muito trabalho para achar. Este, na verdade, deu mais trabalho pra saber que existia, pois não foi nem um pouco divulgado. O álbum em questão é uma compilação feita pela NME em 88 com vários artistas da cena indie da época tocando as faixas do cd Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band.

Ok, vamos aos fatos... não sou um grande fã de Beatles. Não que eu tenha algo contra a banda, mas é que eu não tenho muito a favor. Reconheço a importância deles para a musica, curto algumas batidinhas, mas devo saber a letra de apenas umas duas, decoradas por causa de alguma guria fã de Beatles cuja qual eu quis impressionar.
O que me fez procurar o álbum foi, na verdade, o Sonic Youth e a dificuldade de achar coisas sobre o álbum.
Demorou um pouco, mas consegui todas as faixas (agora conhecidas por mim) que a vocês entrego de bandeja.

We hope you will enjoy the show! (prometo não demorar tanto a voltar)

Sgt. Pepper Knew My Father - 1988

A1 - The Three Wize Men - Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band
A2 - Wet Wet Wet - With A Little Help From My Friends
A3 - The Christians - Lucy In The Sky With Diamonds
A4 - The Wedding Present with Amelia Fletcher - Getting Better
A5 - Hue & Cry - Fixing A Hole
A6 - Billy Bragg with Cara Tivey - She's Leaving Home
A7 - Frank Sidebottom - Being For Benefit Of Mr. Kite
B1 - Sonic Youth - Within You Without You
B2 - Courtney Pine Quartet - When I'm Sixty-Four
B3 - Michelle Shocked - Lovely Rita
B4 - The Triffids - Good Morning Good Morning
B5 - The Three Wize Men - Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (Reprise)
B6 - The Fall - A Day In The Life

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Streetlight Manifesto

Alo alo! Sou o AquariuS, já postava antigamente, e depois de um tempo na inativa, estou voltando a postar por aqui.
Depois dessa breve introdução, "pra não entrar de sola"(pronto salvador), venho falar dessa banda estadunidensi de Ska, não sou um acompanhador antigo do gênero, apesar de conhecer e apreciar algumas músicas de Mighty Mighty Bosstones, mas há pouco tempo comecei a me interessar por bandas de Ska, e como eu sempre faço, quando gosto de algo, vo procurando tudo o que tem, essa banda me interessou em especial, não sei porque, afinal ela me passa a mesma leveza e descontração que as outras me passam, mas com algum plus. E por isso estou aqui postando o álbum que gostei a lot, Everything Went Numb, com músicas que gostei a lot, como Everything Went Numb, Point - Counterpoint, e outras curtidaças!
Sem mais delongas:

Streetlight Manifesto - Everything Goes Numb (2003) (4Shared)



1
Everything Went Numb




2
That'll be the day




3
Point - Counterpoint




4
If and when we rise again




5
A better place, a better time




6
We are the few




7
Failing, Flailing




8
Here's to life




9
A moment of silence




10
A moment of violence




11
The saddest song




12 The Big sleep

40oz. To Freedom - Sublime

Já falei aqui o quanto gosto de Sublime, já contei a história da banda, do fim trágico, mas, ainda não postei tudo que eles fizeram durante a curta carreira, portanto, hoje trago o primeiro registro de estúdio da banda.
O nome do album, "40oz. To Freedom", remete a medida das garrafas de cerveja nos EUA ( 40oz. equivalem a 1,18l), a parte do "to freedom" dispensa explicações (ou não né Thiago?).
Sobre o som, compararando com o outro album que eu postei, 40 oz. tem um estilo mais cru, deixando mais clara a vasta gama de fontes onde o sublime bebeu pra formar sua indentidade, o disco inclui também 6 covers: "Smoke Two Joints" (The Toyes) "We're Only Gonna Die For Our Own Arrogance" (Bad Religion), "5446" (Toots & the Maytals) , "Scarlet Begonias" (by Grateful Dead), "Rivers of Babylon" (The Melodians), e "Hope" (Descendents).

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

She & Him



Formada pelo instrumentista M.Ward e pela belíssima atriz Zooey Deschanel, She & Him é uma banda de indie pop americana. Neste novo trabalho, Deschanel nos apresenta mais um talento: O de cantora. Lembrando bastante Tracyanne Campbell, da Câmera Obscura, a atriz apresenta uma voz doce e encantadora. Mas não apenas os vocais das duas bandas se assemelham. O som em si de She & Him se aproxima bastante da banda escocesa já postada anteriormente aqui também por mim.

O primeiro CD dos americanos, intitulado “Volume One” saiu em março de 2008 e fez muito sucesso entre o público indie, como fãs de Death Cab For Cutie, Rilo Kiley, entre outros nomes do indie atual. A sonoridade de “Volume One” agrada por combinar o talento instrumental de Ward com o carisma, a simpatia, o charme e a boa e doce voz de Deschanel.

Deixo-os com o download do primeiro trabalho da afinada dupla que tem tudo para fazer grande sucesso por aí.


She & Him - Volume One

1- Sentimental Heart

2- Why Do You Let Me Stay Here?

3- This Is Not A Test

4- Change Is Hard

5- I Thought I Saw Your Face Today

6- Take It Back

7- I Was Made For You

8- You Really Got A Hold On Me

9- Black Hole

10- Got Me

11- I Should Have Known Better

12- Sweet Darlin'

13- Swing Low Sweet Chariot

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

BrokeNCYDE


Hip Hop, berros e melodia, pode isso tudo dar certo junto? É o que o Crunkcore, ou Screamo Crunk tenta fazer. Com batidas que às vezes até lembra um pop ao maior estilo Madonna, somados aos berros do screamo, o grupo norte-americano BrokeNCYDE vem conquistando fãs de todo o mundo, com seu estilo crunk kid, às vezes até tosco, e músicas que falam de festas, rebolados e relações, lembra até o funk carioca, só que americanizado. em 2008 assinaram contrato com a SubNoize, famosa por descobrir talentos do hip-hop e hardcore e lançá-los no mercado e gravaram seu 1ºEP, logo após fizeram uma breve apresentação na MTV, que deslanchou o sucesso do grupo, sendo o responsável pelo lançamento da moda crunkcore no mundo.

O grupo conta com Se7en nos berros e no Rap, Mikl na voz melódica e na voz sintetizada, Phat J nas batidas, efeitos de som, guitarras e melodias, Antz na máquina de gelo seco e efeitos de luz e o mascote BREE!

este ano gravaram um CD com 17 faixas, incluindo algumas do EP, que recomendo a vocês, como SCHITZO e FreaXX, além do single do novo CD, Booty Call.

BrokeNCYDE - I'm not a Fan, but The Kids Like it

Download(MediaFire)

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

NO TE VA GUSTAR

Vou apresentar hoje pra vocês uma banda que me conquistou desde a primeira vez que eu a escutei. Pra sair um pouco da rotina do blog de músicas em inglês e em português, trouxe hoje uma banda de rock uruguaia cheia de letras inteligentes e porque não, românticas. Influenciada somente pelo que tem de bom do rock argentino, junto com reggae, candombe, salsa, ska e murga - uma mistureba que deu muito certo, dando uma sensação colorida mas sem perder sua raiz. NTVG nasceu em Montevidéo, lá pelo ano de 1994 quando a maioria dos integrantes tinha por volta dos 16 anos (o que mostra que não se deve desistir quando se tem vontade de ter uma banda). De lá pra cá, eles nos enriqueceram com 5 álbuns: Solo de Noche (1999), Este Fuerte Viento que Sopla (2002), Auque Cueste Ver el Sol (2004), Todo es Tan Inflamable (2006) e El Caminho Más Largo (2008).
Aqui, hoje, vou disponibilizar somente dois dos seus álbuns e espero que vocês gostem...

1. Cómo Brillaba Tu Alma
2. Tenés Que Saltar
3. La Única Voz
4. Machete
5. Te Voy A Llevar
6. Padre De La Patria
7. Me Cuesta Creer
8. Clara
9. La Soledad
10. No Hay Dolor
11. Te Quiero Más
12. Mucho Más Feliz
14. Más Mejor
15. No Necesito Nada

1. El Camino
2. Como Si Estuviera
3. Esta Plaga
4. Tu Nombre
5. El Mismo Canal
6. Niño
7. Tan Lejos
8. Rata
9. Sólo Tu Boca
10. Mirarte A Los Ojos
11. Que Sean Dos
12. Navegar
13. -
14. Te Quedas

sexta-feira, 24 de julho de 2009

The Beatles - Abbey Road

Olha eu aqui de novo, e falando de algo que eu amo muito. Se depender de mim, vocês verão seguidamente Beatles aqui.
Este ano faz 40 anos do albúm Abbey Road, o penúltimo albúm dos Beatles e o último a ser gravado (Let It Be foi gravado antes, mas lançado depois). O albúm marca o fim da banda.
A simplicidade está muito bem representado na capa. Só o fato deles terem atravessado a rua, tornou-se sonho de todos os Beatlemaníacos atravessá-la (tem até uma câmera que filma 24h a "Cross Zebra"). E eu, se passar no vestibular, pretendo atravessá-la final do ano que vem.
É difícil escolher um albúm dos Beatles que eu goste mais, mas provavelmente seja Abbey Road a minha resposta. Se bem que eu mudo de albúm favorito todo dia, porque depende muito do meu humor. Tem dia que é o primeiro deles, Please Please Me, com baladinhas dançantes e tem outros que é o último, Let It Be. Mas Abbey Road está definitivamente entre os preferidos de qualquer Beatlemaniaco.

The Beatles - Abbey Road

1. Come Together
2. Something
3. Maxwell's Silver Hammer
4. Oh! Darling
5. Octopus's Garden
6. I Want You (She's So Heavy)
7. Here Comes The Sun
8. Because
9. You Never Give Me Yo
ur Money
10. Sun King
11. Mean Mr. Mustard
12. Polythene Pam
13. She Came In Through The Bathroom Window
14. Golden Slumbers
15. Carry That Weight
16. The End
17. Her Masjesty




Nota: Foi neste albúm que começaram as especulações "Paul is Dead", vindo de um radialista americano.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Luciana Souza

Como sou um ser novo aqui, fiquei meio acanhada para postar e não sabia que cantor/banda postar. Mas me decidi e aqui estou.
Vou fazer uma breve apresentação da minha pessoa. Meu nome é Isadora, mas prefiro que me chamem de Isa (não me perguntem o porquê), tenho um blog, meio pessoal, meio sei-lá-o-quê, sou de Pelotas, gaúcha como poucos e extremamente apaixonada por Beatles, é só eu ouvir qualquer coisa sobre eles que eu fico louca.
Mas como eu não escuto o tempo todo os Fab4, gosto de "descobrir" novos cantores, por mim desconhecidos. É o caso dessa cantora, que por acaso eu achei uma música dela, que veio no meu computador novo. Eu estou ouvindo muito Bossa Nova ultimamente, algo que eu desprezava antes, e ela faz desse gênero uma bela poesia. O nome é Luciana Souza, que me fez gostar do "jazz brasileiro". Este CD é composto por músicas em inglês, mas ela canta em português também. Tem uma voz muito boa, relaxante e, para quem gosta do gênero, claro, experimente ouvir ao fundo de um bate-papo descontraído com os amigos, ou ao de um jantar à luz de velas. Vale a pena.

Luciana Souza - The New Bossa Nova


1. Down to You (Joni Mitchell)
2. Never Die Young (James Taylor)
3. Here It Is (Leonard Cohen)
4. When We Dance (Sting)
5. Satellite (Elliott Smith)
6. Were You Blind that Day? (Steely Dan)
7. Love Is for Strangers (Larry Klein e Walter Becker)
8. You and the Girl (Luciana Souza e Larry Klein)
9. Living without You (Randy Newman)
10. I Cant Let Go Now (Michael McDonald)
11. God Only Knows (Brian Wilson)
12. Waters of March (Antonio Carlos Jobim)



domingo, 12 de julho de 2009

Download speed - 0kbs

Buenas amigos do Faixa Desconhecida, volto a lhes encontrar aqui no blog com um post especial, o primeiro de uma série de 5 dos discos que mais me deram trabalho achar e baixar.
Diferente daquela história de deixar o melhor (ou mais difícil) por último, vou postar direto o álbum que até hoje mais me deu trabalho obter...
Splendora é um quinteto de Nova York cujo qual tem qualquer informação sobre eles tão difícil de se encontrar como suas musicas (4 meses baixando de apenas 2 fontes). Tanto que o unico site qual eu encontrei algo sobre, foi esse, e, grande parte do que lhes direi sobre eles, é um resumo do tal site.
A banda, cuja unica informação fácil de se conseguir é que fez a musica de abertura de Daria foi formada belas irmãs Janet e Tricia Wygal, as quais já tinham certo nome na cena alternativa de Nova York pelos seus shows solo.
Seu primeiro e unico álbum é de 1995 e se chama "In The Grass". A banda foi bem falada na época, tendo fitas e cds correndo de mão em mão no underground, tanto que um deles chegou às portas da MTV que fez um especial com a banda e colocou uma de suas musicas na abertura da série de TV Daria.
Apenas um ou dois anos depois a banda teve seu fim declarado pois os membros precisavam ganhar dinheiro de verdade de algum jeito, mas, para os que acompanham a banda de longe, pouco se sabe sobre o que eles acabaram fazendo de verdade com o fim da banda, porém, o que importa de verdade, o álbum, eu deixo aqui pra vocês apreciarem mais essa maravilha noventista.
Enjoy!

In The Grass - 1995

01 - Bee Stung Lips
02 - Rat Fink
03 - Breeze
04 - Rocker
05 - Beautiful
06 - Pollyanna
07 - Reanimator
08 - Shirt On
09 - Sever
10 - Rattle
11 - Cover the River
12 - No Place
13 - It's Great
14 - Busted
15 - You're Standing On My Neck

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Jet


O Jet é uma banda australiana formada em 2001 que lançou dois CD’s até hoje, sem contar os outros dois EP’s. Em 2002, lançaram um primeiro trabalho entitulado “Dirty Sweet” com tiragem de 1000 cópias, esse número se esgotou rapidamente e eles tiveram de fazer outra demanda de cópias. O sucesso foi tanto, que a gravadora Elektra ofereceu um contrato, além de relançar “Dirty Sweet”.
Com a Elektra, o Jet se viu permitido a produzir o primeiro CD, entitulado “Get Born”, com influências do rock clássico dos anos 60, contando, inclusive, com a participação de Billy Preston, famoso por gravar com os Beatles, Eric Clapton e os Rolling Stones. Get Born é tão bom que até mesmo os Gallagher do Oasis chegaram a elogiar o Jet, dizendo que eram a única banda de Rock’n’Roll da atualidade que não envergonhava o Oasis. Na época de lançamento do CD, o Jet também abriu shows do Rolling Stones na austrália, dando ainda mais repercução à banda.
Em 2006, os irmãos Nic e Chris Cester, líderes do Jet, sofreram um grande baque em meio as gravações e “Shine On”, segundo álbum da banda; Seu pai havia morrido e isso teve grande influência no trabalho dos dois, “Shine On” adquiriu um clima de luto e possuiu uma faixa escrita pelo pai dos dois, chamada “Shine On”. O nome do disco também é uma homenagem a ele. Sobre a musicalidade do disco, vê-se um trabalho levemente mais comercial, mas extremamente bom, assim como “Get Born”.
Em 2009, o Jet lançará “Shaka Rock”, terceiro disco da banda.